Mercedes reabre segundo turno em fábrica de São Bernardo 

28 AGO 2019
28 de Agosto de 2019

Retomada permitirá a montadora produzir 18 mil ônibus até dezembro

A montadora alemã Mercedes-Benz reativou o segundo turno de trabalho em sua linha de produção de ônibus em São Bernardo do Campo (SP). A previsão é que o turno extra traga 30% a mais de produção em relação a 2018 e permitirá à Mercedes produzir 18 mil ônibus até dezembro. São 4 mil veículos a mais do que o total do ano passado. 

O presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina, Philipp Schiemer, diz que, em 2018, a montadora percebeu que o país “começou a entrar nos trilhos do crescimento” e que, em 2019, esse movimento ganhou mais energia, apesar de ainda estar lento. “As empresas de transporte confiaram nesse embalo e passaram a renovar suas frotas. Hoje, existe um clima de confiança do investidor que não pode ser perdido e é nesse momento que estamos trazendo mais novidades para eles”. 

O CEO ainda destaca que não é demais pensar em volumes maiores para o mercado brasileiro. “O Brasil é um país de dimensão continental e que tem um potencial enorme de atividades econômicas a girar com os caminhões. A economia precisa ganhar mais velocidade, com cuidados para não descarrilhar, como aconteceu na última década. Esperamos muito mais a partir de 2020”.

Recentemente, a Mercedes comercializou um lote de 1,6 mil ônibus urbanos para a cidade de São Paulo, que foi a maior venda da marca para as operadoras da capital paulista. A venda fez parte do programa de renovação de frota da cidade e os veículos serão entregues de forma programada até o final de 2019. 

Já em 2020, os alemães começam com uma nova linha de caminhões, fruto de um investimento de R$ 1,4 bilhão e que faz parte de um ciclo de R$ 2,4 bilhões para o período de 2018 a 2022. O novo ciclo envolve o lançamento de produtos, novas tecnologias e serviços de conectividade, como também a modernização das fábricas rumo à Indústria 4.0. “Estamos preparados para entregar mais eficiência aos negócios de nossos clientes na nova década que se aproxima e crescermos juntos com os clientes e o mercado”, afirma Schiemer. 

Fonte: https://www.cnt.org.br 

Voltar